postando em 12 de julho de 2017

Desde que criei meu primeiro blog lá em 2010 o objetivo sempre foi trazer conteúdos legais para os leitores. Quem me acompanha mais de perto sabe que nunca me envolvi com nenhuma “treta” ou discussão nas redes sociais. Sou aquele tipo de blogueira que gosta de criar conteúdo, divulgar, fazer amizades e sempre que possível participo de projetos entre blogueiras sejam eles fotográficos, literários ou envio de cartas. Por isso nunca trouxe nenhum tema polêmico para o blog, porém li essa frase semana passada num grupo no facebook e senti necessidade de explicar meu ponto de vista sobre.

Você sabia que tem pessoas que curtem seu trabalho mas não acessam seu blog porque sentem receio dele crescer mais do que o delas? Você sabia que tem pessoas que gostam das suas fotos, acham lindas, mas não curtem para que empresas não te contratem por seu instagram ser famoso? Você sabia ainda que pessoas não compartilham suas publicações para que sua fan page não cresça e chame a atenção de possíveis parceiros?

Sempre pensei que houvesse uma parceria sincera e companheirismo entre blogueiras, ainda mais as pequenas pois ouvimos muito “blogueiras pequenas precisam se ajudar”, afinal todas queremos um espaço ao sol concordam? Mas o que vi nessa publicação em especial foi algo completamente diferente. Algumas blogueiras pensam somente nelas.

Todos os dias visito em média uns 20 a 30 blogs e leio resenhas de livros, tutoriais de fotografia, indicação de filmes e séries, dicas de decoração, até indicação de novos apps pra usar aqui no blog. Mas as vezes acontece do dia estar tão corrido que somente leio o post sem deixar comentário. Isso não quer dizer que o conteúdo é ruim, que não gostei ou menos ainda que tenha medo dele ficar famoso. Inclusive dois blogs que sempre estou lendo e raras vezes dá tempo de comentar são os Madly Luv e Sai da minha lente. A Clayci conheci faz pouco tempo e a Aninha faz uns três anos já e as duas são umas queridas 

“Carinho inspira carinho” (Blog Memorialices)

Nunca fiz distinção de blogs pequenos ou grandes tanto que já comentei com vocês que gosto do conteúdo da Luísa Accorsi (é uma fofa  do antigo Sonhos de Crepom) e também da Luh (do Memorialices), já indiquei ambos os blogs e isso não me fez pensar que perderia meus leitores ou possíveis parcerias. Pelo contrário, acredito que quanto mais estamos engajados com outros blogs, indicamos ou somos indicados isso aumenta a relevância do nosso conteúdo na internet (saiba mais sobre SEO).

É difícil compreender o que faz uma blogueira pensar dessa forma. O que faz com que ela coloque diversos defeitos no blog da coleguinha só pra mostrar que o seu é melhor ou justificar o fato de não acessar, comentar ou divulgar um conteúdo interessante.

Outra postagem que vi falava sobre layout e algumas blogueiras comentaram que dependendo do blog que visitava já saía sem ao menos clicar em nenhum post. Algumas até disseram que tinham “preguiça” de clicar e ir em outras páginas. Como assim é blogueira e tem preguiça de ler? Como assim se o layout é legal lê os posts senão fecha o blog? Foi isso mesmo que você entendeu. Algumas blogueiras preferem mais o layout do que o conteúdo.

Quando procuro indicação de um lugar pra viajar por exemplo vejo as fotos, o hotel, os pontos turísticos, se os preços são acessíveis, etc. Se por acaso houver erros de português isso não me fará dar mais ou menos crédito a quem escreveu, muito menos fechar o blog e buscar outro. As vezes a pessoa escreveu rápido, erros acontecem concordam?

“Sendo bom ou ruim o que você faz volta pra você.”

Desde sempre me preocupei com a qualidade do conteúdo que mostro aqui assim como minha opinião sincera sobre todos eles. Quando as pessoas me enviam e-mails ou me perguntam pelo facebook se alguma empresa já “comprou” minha opinião sempre respondo que isso não está à venda. Igualmente espero que as blogueiras com quem mantenho contato pensem da mesma forma. Acredito sim que devemos divulgar conteúdo que sejam relevantes, que possam agregar valor às pessoas, que possam ajudá-las de alguma forma e isso de maneira nenhuma irá nos diminuir, pelo contrário nos faz ser melhores pessoas.

Queria deixar um recadinho aqui para quem não abre o blog da amiguinha, não lê o post até o final, ou não gosta do “leia mais” por preguiça de clicar em diversas páginas… no mundo funciona a lei do retorno você faz coisas boas e elas retornam pra você. O contrário também é verdade.

Obrigada a quem leu até o fim, obrigada por acompanhar o blog todos os dias, por contribuir com sugestões para melhorá-lo, e obrigada mais ainda por não se importar em dar audiência a conteúdos que você considera merecedores. Você é uma blogueira especial 🙂

E você qual sua opinião? Gosta do conteúdo de alguém mas não dá audiência? Comente e compartilhe o que pensa.

Beijos
Érika

Acompanhe também nas redes sociais:
Facebook ♥ Instagram ♥ Twitter ♥ Flickr ♥ G+

Érika Monteiro
Post escrito por Érika Monteiro

Estudante de Administração, fotógrafa nas horas vagas. Tem como hobby assistir séries, filmes, ir ao cinema e ouvir música sertaneja. Tem um amor incondicional por flores.
postando em 28 de abril de 2017

Oi pessoas, como vocês estão? O post de hoje é muito especial! Estava ansiosa para contar minha experiência aqui no blog sobre tudo o que aprendi na High stakes week. Aí você me pergunta: mas o que é isso? Calma que irei te contar como conheci o Gabriel Goffi. Tudo começou porque sigo o Murilo Gun a bastante tempo, conhece ele? Em 2014 ele esteve no programa Roberto Justus +, foi quando conheci um pouco da sua história. Me chamou a atenção seu jeito engraçado e direto de falar.

O Murilo estudou Administração e em 2014 passou numa entrevista para participar de um programa no Vale do Silício, onde estudam e desenvolvem novas tecnologias. O grupo dele foi responsável pela criação de um dispositivo auditivo e também o software para sua configuração.

Após terminar o programa ele retornou ao Brasil cheio de ideias e animado para colocar tudo em prática. Hoje o Murilo tem um site, página no facebook, canal no Youtube, é comediante, faz diversas palestras e apresentações. Essas palestras abordam temas como criatividade, inovação e empreendedorismo. Foi justamente um de seus vídeos no facebook que me fizeram conhecer o Goffi (uhulll até que enfim… achou que o post era sobre o Murilo? haha)

High stakes week

Bom, os dois fizeram uma live onde o Murilo apresentava o Goffi e falava sobre o início da High stakes week. Confesso que a primeira vez que ouvi esse nome achei bem estranho… pensei o que será isso? E a curiosidade me fez clicar no link…claro 🙂 Acredito que era dia 28/03, porém a semana High Stakes seria dos dias 27/03 a 02/04, nem preciso dizer que corri no site para ver se ainda era possível participar, deu certo oba \o/

Preciso confessar outra coisa, nunca acreditei muito nesses cursos diferentes pela internet, ainda mais se é só para “assistir vídeo”. Ficava pensando comigo quem será esse louco? (vulgo Gabriel Goffi haha) Anda de chinelo, ou descalço, cabelo estilo Tiago Iorc, no começo não botei fé não. Pensei que era apenas mais um vídeo de “autoajuda”, até que terminei de ver o primeiro vídeo e baixei o .pdf para estudar mais.

Foi uma semana bem intensa de aprendizado, ouvi algumas coisas que a gente sabe mas não põe em prática nunca, outras que nunca imaginamos, e outras ainda que se tornaram essenciais como cuidar da alimentação. O saldo de tudo isso resultou numa mudança de perspectiva, é impossível olhar o mundo da mesma forma depois que você aprende e percebe que pode ser tão bom quanto aqueles a quem admira. Por essa experiência ter sido tão incrível acredito que merece ser compartilhada, vamos nessa!

High stakes week

Você é a média das 5 pessoas com quem mais convive

Já parou para pensar um minuto sobre quem são as pessoas que te cercam? Amigos, professores, colegas de trabalho, namorado (a), vizinhos… Já pensou no quanto eles influenciam suas decisões, sua vida ou como você age? Ex: você está muito feliz, aí chega no trabalho e tem alguém triste ou de mau humor e “polui” o ambiente com aquele sentimento, percebe como sua “alegria” vai embora? Pois é, por isso é importante escolher com quem você quer se relacionar, pessoas que te incentivem, que o torne um ser humano melhor, que desperte a vontade de ser ótimo e não se contentar com o “bom” apenas. Pessoas que te façam estudar, ler mais, ser um profissional de sucesso, e não aquelas que tentam tirar seu brilho.

A vida acontece de você e não pra você

Já ouviu aquela expressão:”se eu tivesse uma casa seria feliz”, “se eu fosse mais magra seria feliz”, e aí vem uma infinidade de “e se”. O que você está fazendo para ter essa casa? O que está fazendo para ser mais magra? Para mudar de emprego, ou qualquer outra coisa? A vida acontece de você e não pra você, significa que você precisa tomar as rédeas e decidir o que quer e ir à luta. Deve fazer acontecer e não apenas reagir aos acontecimentos do dia a dia.

High stakes week

1% melhor todos os dias

Muitas vezes as pessoas se preocupam com o desenvolvimento do seu trabalho, em chegar no horário, entregar relatórios dentro do prazo, manter um relacionamento cordial com os colegas, mas e o “algo mais”? Você está sendo melhor hoje do que ontem? Alcançou resultados melhores que na semana passada? 1% melhor todos os dias é não se contentar em fazer a mesma coisa que todos fazem, é querer se destacar, querer ser o melhor, alcançar o melhor para nossas vidas, e ainda assim não ser o bastante.

“Sempre contente, mas nunca satisfeito.” (Gabriel Goffi)

Determinar metas diárias

Uma das coisas que mais mudou na minha rotina foi determinar metas diárias. No início você acha que não tem importância, mas quando percebe que a sua lista de metas estava parada devido a procrastinação começa a diminuir, vê que tudo faz sentido. Nós sabemos o que é urgente, prioridade, e o que pode ser deixado em segundo plano, porém devemos ser firmes com nossas metas e manter o foco. Fazer o exercício de determinar 3 tarefas para o dia seguinte e à noite monitorar se foram realizadas é muito gratificante (experiência própria). Você tem a sensação de “dever cumprido” que nada se compara. Experimente!

High stakes week

Ter presença no que faz

Esse foi um dos meus maiores aprendizados, tenho buscado colocar em prática todos os dias. Mas o que é ter presença no que faz? Ex: está fazendo o almoço mas já se preocupando em lavar a louça; está fazendo compras mas pensando em buscar as crianças no colégio; está na faculdade mas já pensando na festa do final de semana… Percebeu como o “corpo” está no local mas a mente não? Estamos sempre fazendo uma coisa pensando em outra, o pensamento viaja o tempo todo. Um escritor disse uma vez o ser humano ou está preocupado com as incertezas do futuro ou melancólico com os acontecimentos do passado, mas dificilmente contemplando o presente. E é verdade, já pensou nisso?

Durante a High stakes week foi possível conhecer outros participantes, houveram desafios nas redes sociais, inclusive participei lá no Instagram com uma frase motivadora uhulll A minha foi uma das escolhidas para ganhar um brinde High stakes, nem preciso dizer o quanto fiquei orgulhosa pelo blog participar de algo assim 

High stakes week

O brinde demorou um pouquinho… fiquei preocupada mas chegou tudo bem. A caneca High stakes é simplesmente linda  Vai ser possível tomar vários cafés high stakes nela 🙂

Bom gente essa foi minha experiência na High stakes week, tem muito mais coisas que aprendi, mas se fosse escrever tudo teria conteúdo para uns 5 posts ainda. Só digo uma coisa: vale a pena!

Sabe quando você tem uma boa notícia e quer contar pra todo mundo? Quando se sente bem consigo mesmo e quer que os outros experimentem essa mesma sensação? Quando algo muda sua vida pra melhor isso com certeza deve ser compartilhado.

High stakes week

O post ficou imenso mas espero de verdade que tenham gostado de saber um pouco mais sobre a High stakes week, o Gabriel Goffi e todas as mudanças que aconteceram desde o final de março. Se quiserem acompanhar o trabalho do Goffi vou deixar as redes sociais dele aqui para vocês seguirem 😉 #borapraaction Site | Facebook | Instagram | Youtube

A frase que participou da seleção 🙂

“Muitas vezes passamos a vida inteira rodando em círculos buscando algo que preencha de verdade nosso espírito e que faça sentido pra nós. Muitas vezes seguimos os “bons conselhos” daqueles que estão ao nosso redor porém não nos sentimos realizados. Até quando deixaremos a água nos levar? Até quando iremos empurrar tudo com a barriga? E culparemos o meio pela situação na qual nos encontramos? É preciso levantar da cadeira, respirar fundo e tomar uma decisão: ser #highstakes em todos os níveis da vida!” (Érika Monteiro)

PS: Obrigada #teamhighstakes pelo envio da minha caneca, gostei demais. Como podem ver ela é muito fotogênica 🙂

Um abraço
Érika

Acompanhe também nas redes sociais:
Facebook ♥ Instagram ♥ Twitter ♥ Flickr ♥ G+

5 coisas que aprendi na High stakes week com Gabriel Goffi

Érika Monteiro
Post escrito por Érika Monteiro

Estudante de Administração, fotógrafa nas horas vagas. Tem como hobby assistir séries, filmes, ir ao cinema e ouvir música sertaneja. Tem um amor incondicional por flores.
postando em 23 de maio de 2016

Semana passada vi três posts em grupos do facebook, um deles abordava se um blogueiro deve gostar ou não de escrever, o outro era sobre um vídeo recente do youtuber Felipe Neto (link aqui) sobre o poder de influência que tem as pessoas que estão na mídia, e por último o vídeo do Porta dos fundos (link aqui), que também aborda a qualidade do conteúdo produzido, não somente por blogueiros, mas jornalistas e demais influenciadores de opinião.

Seja escrevendo textos em seus blogs ou gravando vídeos, a principal responsabilidade deveria ser produzir conteúdo de qualidade, independente do assunto abordado.

É preciso gostar de escrever para ser blogueira

Eu por exemplo, não tenho afinidade com moda, look do dia ou maquiagem, acredito que não combina com meu perfil, por outro lado, um dos meus hobbys desde adolescente é a fotografia, sou fotógrafa amadora, e tenho buscado praticar cada vez mais. Neste assunto tenho liberdade para compartilhar minha experiência, as fotos que faço, os cursos, a evolução do meu olhar, e alguns erros que cometi no aprendizado.

Acredito que blogar é isso, se identificar com algo que goste bastante e se sentir à vontade falando sobre isso, que goste também de pesquisar, ler, buscar informações e assim criar posts bem estruturados, com conteúdo e que tragam conhecimento a quem está lendo.

Todos os dias visitamos vários blogs onde o blogueiro reúne algumas imagens, põe um título e acredita que isso é um post, eu passo por esse conteúdo e não encontro o que isso pode me agregar de valor.

A característica principal do blogueiro é blogar, ou seja, escrever sobre algo, como alguém se denomina blogueiro e não gosta de escrever? Como alguém é blogueiro e não usa seu tempo para se aprofundar nos assuntos que gosta?

O volume de informações nos dias de hoje é bem grande, e muitas são até descartáveis, as vezes as pessoas escrevem algo para ter seu momento de fama, sem se preocupar com o que realmente está sendo escrito. É preciso ter uma preocupação maior com o conteúdo de nossos blogs, de forma a não ser mais um no meio da multidão.

É preciso pensar “o que escrevo é realmente útil”? É necessário? Está agregando valor aos leitores? Ou é somente para ganhar cliques? Precisamos ser autênticos, originais, mostrar um diferencial, de maneira a levar informações relevantes aos leitores.

Se fizermos um bom trabalho, os acessos virão com o tempo, isso é certeza. Nossa preocupação maior deve ser com relação a imagem que as pessoas têm de nós, de que maneira você quer que as pessoas te vejam?

Sei que nunca me aprofundei nas minhas opiniões aqui no blog, no entanto dessa vez me senti inclinada a compartilhar com vocês a forma que penso, pois esse comportamento afeta ambos, blogueiros e leitores. De um lado, leitores que buscam conteúdo diversificado, de outro, blogueiros que reclamam de acessos, comentários, e interação. De que maneira podemos melhorar isso? Acredito que melhorar nosso conteúdo é um primeiro passo.

Por mais conteúdo de autoria própria, inédito e informações relevantes a quem nos lê!

E vocês, gostam de ler? O que fazem para sempre ter conteúdo de qualidade? Deixe sua opinião!

Beijos,
Érika

Me acompanhe também nas outras redes sociais:
Facebook ♥ Instagram ♥ Twitter ♥ Flickr ♥ G+

É preciso gostar de escrever para ser blogueira?
Érika Monteiro
Post escrito por Érika Monteiro

Estudante de Administração, fotógrafa nas horas vagas. Tem como hobby assistir séries, filmes, ir ao cinema e ouvir música sertaneja. Tem um amor incondicional por flores.